Brincadeiras sem telas

Brincar é algo fundamental para o desenvolvimento físico, emocional, cognitivo e social da criança. É através das brincadeiras que a criança se expressa, aprende sobre o mundo em que vivemos, e desenvolve funções como a comunicação, o pensamento lógico, empatia, raciocínio, funções executivas…

Não é “o” brinquedo ou “a” brincadeira. O que mais importa é a forma como se brinca, como se cria e se vivencia a experiência do brincar – de experimentar e experienciar o mundo.

Por isso, as telas tanto podem ter um papel muito ruim ou muito bom nesse desenvolvimento, dependendo de como são usadas e de quanto tempo se passa com elas. O fato é que telas fazem parte da nossa realidade e, provavelmente, serão ainda mais presentes nas gerações mais novas, ou seja, é preciso saber lidar com elas de forma equilibrada. Como tudo na vida, é importante cuidar para não exagerar. Pensando nisso, hoje trouxemos algumas opções de brincadeiras sem telas. Vamos lá?

Se inspira na dica: brincadeiras e atividades sem telas
  • Desenhar no chão da calçada ou do quintal com giz de lousa. O giz é barato e é encontrado com facilidade em qualquer papelaria. Além disso, é fácil limpar a bagunça depois com um balde d’água – ou podemos apenas deixar a arte da garotada durar! Essa atividade desenvolve a criatividade, a coordenação motora, ajuda a criança a expressar suas emoções através do desenho e ainda traz um sentimento de reconhecimento social e de liberdade quando permite ir além do desenho no papel.
  • Pular amarelinha! Vocês podem riscar a amarelinha no chão com o giz ou fazer a amarelinha com fita adesiva no chão, inclusive dentro de casa, como no quarto dos pequenos. Essa atividade trabalha funções nervosas como o equilíbrio, o planejamento da ação, atenção e concentração, além de trabalhar aspectos como a persistência e o movimento de tentar se superar.
  • Variação de atividades com desenhos, como desenhar e colorir, tentar adivinhar o que alguém está desenhando, desenho livre… todas essas atividades com desenhos ajudam a criança a se expressar e a exercitar a coordenação motora, além de ser divertido.
  • Organizar um piquenique. Vocês podem ir ao parque da cidade, a uma pracinha ou mesmo aproveitar uma sombrinha gostosa do quintal de casa. Deixem as crianças se envolverem e participarem bastante da atividade, tanto no preparo dos lanches quanto na arrumação do lugar (antes e depois da brincadeira). A brincadeira fica ainda mais gostosa se evitarem alimentos prontos, fazendo vocês mesmos os sanduíches, o suco, preparem algumas frutas ou o que a imaginação e o apetite sugerirem. Essa atividade ajuda a desenvolver a cooperação e o trabalho em equipe, planejamento, ensina a trabalhar com organização para alcançar uma meta (do que vamos precisar, o que vamos fazer primeiro, o que falta fazer, etc), além da socialização. ATENÇÃO ADULTOS: não é o jubileu da rainha, é um piquenique organizado por crianças… a ideia é se divertir antes, durante e depois, sem pressão, combinado?
  • Construir coisas com sucata: caixinhas, garrafas, latas, tampinhas, papel, papelão…  Podem fazer pés de lata, casinhas com caixas de papelão, uma cidade em miniatura para brincar com carrinhos e bonecos, criar fantasias… A imaginação é o limite! Esta é uma brincadeira acessível e divertida. Trabalha coordenação motora, criatividade, planejamento da ação e funções executivas. Quando a brincadeira terminar, todo o material usado pode ser levado para a reciclagem, ensinando às crianças a importância de cuidar do ambiente com responsabilidade.
  • Criar um teatrinho é algo interessante para a socialização, planejamento, criatividade… podem criar as fantasias e cenários com sucata e mesmo se inspirar com o que tiver em casa.
  • Fazer bolinhas de sabão. Vocês podem diluir um pouco de detergente de cozinha na água, molhar um canudinho na mistura e soprar de leve (adultos, muita atenção com crianças pequenas, lembrem que não pode tomar e supervisione esta atividade sempre). Em geral as crianças gostam muito desta atividade e ela é ótima para ser feita depois de um momento mais agitado. Por trabalhar a respiração lenta e rítmica, ajuda a criança a se acalmar e a se concentrar.
  • Festa do pijama! Com direito a desfile de pijamas, histórias e guloseimas. Isso desenvolve a socialização e incentiva valores como amizade e companheirismo. Além disso, assim como na atividade do piquenique, ajudar a organizar a brincadeira contribui bastante para o desenvolvimento do planejamento, trabalho em equipe, ajuda a criança a aprender a expor suas ideias e ouvir as sugestões dos outros.
  • Ir lá para fora e olhar as estrelas. Aprendam algumas constelações simples e fáceis de localizar, como a Cruzeiro do Sul ou as Três Marias e ensinem aos pequenos. É uma atividade gostosa, que relaxa a criança, cria um momento harmonioso de convivência entre a família e trabalha aspectos como a concentração e a atenção.
  • Soltar pipa. Mais uma atividade muito boa para acalmar, concentrar e trabalhar a percepção de espaço. Ah, lembrando sempre sobre a segurança: nada de cerol, nem de ficar perto da rede elétrica! Podem brincar num parque, praia ou lugar aberto e seguro.
  • Montar uma cabaninha com um lençol ou coberta. As crianças amam! É uma atividade lúdica e que deixará lindas memórias, além de trabalhar noção de espaço e planejamento.
  • Ler livrinhos, para os mais novinhos, a leitura em voz alta é muito recomendada para trabalhar a consciência fonêmica e fonológica, fluidez verbal, pensamento abstrato, pensamento crítico… Uma alternativa legal para esta atividade é escolher um livro para lerem juntos, um pequeno trecho cada um.
  • Criar uma história juntos. Alguém começa e o próximo continua. Esta atividade é interessante para a fluidez verbal e comunicação, interação social, cooperação, atenção, para trabalhar a rigidez cognitiva (aprendendo a improvisar e a buscar soluções quando algo sai do planejamento, por exemplo), e mesmo para trabalhar a impulsividade/aprender a esperar a vez.
  • Cantar e dançar trabalha a sociabilidade e aspectos emocionais, além de coordenação motora. A musicalidade traz também a noção de ritmo que, por sua vez, ajuda com a fluidez de movimentos, fluidez verbal e mesmo durante as atividades do dia a dia.
  • Apagar as luzes e usar uma lanterna para fazer sombras é uma atividade que trabalha a coordenação motora e pensamento lógico (como preciso posicionar as mãos para ter a sombra que quero criar). Além disso, para crianças com medo do escuro, esta atividade pode ajudar a lidar com este medo, mostrando que não tem nada a temer e que pode até ser divertido. Adultos: se a sua criança tem medo, sem forçar, combinado? Um passo por vez…
  • Dobradura e origami. Esta é uma ótima atividade para trabalhar a coordenação motora, planejamento, funções executivas… Para variações, as dobraduras podem ser feitar copiando a demonstração de alguém, ou lendo instruções ou, ainda, ouvindo instruções de outra pessoa.
  • Brincadeiras clássicas, como esconde-esconde, jogar bola, mímica, vivo ou morto… podem ser ótimas alternativas, e geralmente trabalham bastante a parte motora e social.
  • Jogos clássicos, como jogo da memória, quebra-cabeça, dominó… trabalham as funções cognitivas como memória, atenção, pensamento lógico, além de trazer a questão do respeito às regras e combinados, lidar com a frustração, esperar a vez de cada participante…
Lembrando…

As brincadeiras ficam ainda melhores quando os adultos participam, criando um momento gostoso e especial, cheio de memórias afetivas. Ah, e criem também as suas atividades, adaptem, brincadeira não tem certo e errado, desde que todos se divirtam e se sintam respeitados, por isso, permitam-se!

Deixe uma resposta Cancelar resposta

%%footer%%